LeV: A guerra em debate no Festival Literatura em Viagem

Festival Literatura em Viagem

Partilhe:

Translate

O festival Literatura em Viagem (LeV) regressa a Matosinhos, de 08 de maio a 11 de maio, e estreia-se com um dia em Lisboa, na nona edição, cuja abertura está a cargo do antigo Presidente da República Jorge Sampaio.

Em antecipação à agência Lusa, a Câmara de Matosinhos, que organiza o evento, anuncia o programa oficial do LeV, que apresenta, nesta edição, a programação alargada para quatro dias, e cujo conceito é “Conflito, ontem e hoje”.
A conferência inaugural do LeV está marcada para 08 de maio, sexta-feira, em Matosinhos, e conta com a presença do antigo Presidente da República Jorge Sampaio, sendo a grande novidade desta edição a chegada do festival a Lisboa, decorrendo a sessão de 11 de maio, segunda-feira, na Fundação José Saramago.

“Setenta anos depois do final do conflito que mais marcou a Europa e o Mundo [a II Guerra Mundial], que trincheiras ficaram por cobrir? A escrita, a literatura, o pensamento serão agentes que ajudem a cicatrizar as feridas da guerra e da identidade? Que conflitos, pessoais ou criativos, marcam os dias de hoje? Afinal, que lições tiramos da devastação?”, questiona a apresentação do festival.

Para a nona edição do evento está prevista “uma das maiores comitivas internacionais da história do festival”, que conta com escritores como o norte-americano Richard Zimler, radicado em Portugal, o sul-coreano Kim Young-Há, o italiano Paolo Giordano, a espanhola Paloma Díaz-Mas, a holandesa Tessa de Loo e o romeno Catalin Dorian Florescu.

A estes juntam-se ainda os catalães Marc Pastor, autor e criminologista, e Llucia Ramis, escritora e jornalista, o ensaísta polaco Artur Domoslawski, autor da biografia de Ryszard Kapuscinski, e o músico maiorquino Joan Miquel Oliver.

Em português, o LeV terá a participação de Gonçalo M. Tavares, Francisco José Viegas, Rui Tavares, Mário Cláudio, Joel Neto, Rui Cardoso Martins, Rui Vieira Nery, Pedro Abrunhosa e João Pereira Coutinho.

“Os conflitos ideológicos”, “Entre o latido e o miado: conflitos ancestrais”, “O mal não é um lugar-comum”, “O individualismo é o sonho do mal”, “Escrever, marchar”, “Os conflitos interiores”, “O conflito ajuda à criatividade?” e a entrevista “Quantos conflitos se geram durante uma vida literária?” são os temas em análise, no sábado e no domingo, 09 e 10 de maio, em Matosinhos, onde o Quarteto de Cordas de Matosinhos também atuará.

Na sexta-feira, dia 09, é inaugurada a exposição “Cólofon”, que reúne 500 capas de livros portugueses no Museu da Quinta de Santiago, em Matosinhos, e que desvenda a história do design gráfico e da ilustração em Portugal, ao longo do século XX.

O último dia do festival, na Fundação José Saramago, em Lisboa, contará com a apresentação da obra “Olhares sobre a História da Música em Portugal”, escrita pelos investigadores Manuel Carlos Brito, Manuel Pedro Ferreira, Paulo Alexandre Costa e Rui Vieira Nery, com coordenação de Jorge Alexandre Costa, e a conferência “Que conflitos para o século XXI”.

Pelo LeV já passaram autores como o escritor francês Olivier Rolin, o norte-americano Paul Theroux e o pensador português Eduardo Lourenço, entre muitos outros.


Partilhe:

Comentar