Liturgia Familiar: Proposta para o XII Domingo Comum

XII DOMINGO COMUM - Ano A (2020)

Partilhe:

Translate

Caríssimos irmãos e irmãs em Cristo:

Apesar de já podermos celebrar presencialmente a Eucaristia, continuamos a colocar à vossa disposição esta proposta de celebração familiar com bênção da mesa.

Para uns servirá como complemento para a sua reflexão, para outros, como oração. Cada um ou cada uma saberá colher desta proposta o melhor para si ou para aqueles ou aquelas a quem, porventura, o queira oferecer.

O importante é caminharmos e não perdermos o ritmo da caminhada da nossa vivência cristã.

Continuo a aconselhar aqueles e aquelas que possam a vir celebrar connosco, presencialmente, a Eucaristia. Como sabem, também o Papa Francisco o tem recomendado. Vençamos o medo. Claro que nos devemos proteger do “vírus”, mas não permitamos que o “vírus” nos acorrente.

“Não tenhais medo”

LITURGIA FAMILIAR

SAUDAÇÃO

Guia: “Não tenhais medo” é um refrão que se repete hoje, e que a Bíblia declina como um refrão, por 365 vezes, para que o medo não nos domine, não nos paralise e não nos contagie. Para vencer o medo, ponhamos, desde já, a nossa confiança no Senhor, que é Pai de todos e cuida de cada um de nós, com desvelo total e amor infinito. Confiemos-Lhe todas as nossas preocupações, porque Ele tem cuidado de nós. Aproximemo-nos d’Ele, com toda a confiança do coração:  Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. 

Todos: Ámen.

PEDIMOS PERDÃO

Guia: Jesus Cristo, vieste salvar os corações atribulados: Senhor, misericórdia. 

Todos: Senhor, misericórdia.

Guia: Jesus Cristo, pela morte dás a abundância da tua graça: Cristo, misericórdia. 

Todos: Cristo, misericórdia.

Guia: Jesus Cristo, declaras-te por nós junto do Pai: Senhor, misericórdia.

Todos: Senhor, misericórdia.

ACOLHEMOS A PALAVRA

Santo Evangelho segundo São Mateus – 10, 26-33

Naquele tempo, disse Jesus aos seus apóstolos:
“Não tenhais medo dos homens,
pois nada há encoberto que não venha a descobrir-se,
nada há oculto que não venha a conhecer-se.
O que vos digo às escuras, dizei-o à luz do dia;
e o que escutais ao ouvido proclamai-o sobre os telhados.
Não temais os que matam o corpo, mas não podem matar a alma.
Temei antes Aquele que pode lançar na geena a alma e o corpo.
Não se vendem dois passarinhos por uma moeda?
E nem um deles cairá por terra sem consentimento do vosso Pai.
Até os cabelos da vossa cabeça estão todos contados.
Portanto, não temais: valeis muito mais do que todos os passarinhos.
A todo aquele que se tiver declarado por Mim diante dos homens,
também Eu Me declararei por ele diante do meu Pai que está nos Céus.
Mas àquele que Me negar diante dos homens,
também Eu o negarei diante do meu Pai que está nos Céus”.

PARTILHAMOS A PALAVRA

Ao pensar a nossa relação de amizade com Deus, talvez a palavra ‘pecado’ seja a que primeiro surja na nossa mente, como aquilo que mais nos afasta do amor de Deus. Hoje, porém, vamos introduzir uma outra perspetiva, à qual não tenhamos dado a devida importância: o medo. Sem darmos conta, o medo pode ser um grande impedimento para (re)começar uma relação de amizade com Deus. Porquê? Porque o medo bloqueia a confiança. Não é mero acaso o facto de Jesus Cristo insistir, em vários episódios, na importância de vencer o medo.  Há quem não arrisque a amizade com medo da traição. Por isso, em primeiro lugar, é necessário ter confiança em si mesmo. Quem confia em si torna-se capaz de confiar nos outros. Quando surgem traições, sente que tem raízes mais profundas, é capaz de viver todas as situações com serenidade. No meio de tantas sombras, para o crente, brilha sempre uma luz de esperança: a confiança renovada em Deus. Valerio Albisetti escreve: “A partir do momento em que acreditamos que os outros nos podem ferir, teremos medo de ser feridos […]. O amor que Deus tem por mim tira-me o medo e deixo de ter motivos para me ferir, para me sentir não amado, para me sentir indigno. O problema da nossa infelicidade, do nosso medo e do nosso sofrimento está todo aqui: em não conseguirmos confiar em Deus”. Confia! Vales muito mais aos olhos de Deus. 

APRESENTAMOS AS NOSSAS PRECES

Guia: Animados pelo santo temor de Deus e cheios de confiança no seu amor, ousamos rezar e interceder pelos nossos irmãos e irmãs, dizendo: Senhor, eu confio em ti!

Um dos membros da família:  Pela Santa Igreja: não trema diante dos poderosos deste mundo, mas ponha toda a confiança na tua graça e no teu amor providente, nós te pedimos: 

Todos: Senhor, eu confio em ti!

Um dos membros da família:  Pelos que governam: encontrem políticas justas e inovadoras, que respondam adequadamente às diversas facetas da crise pandémica, que estamos a viver, nós te pedimos: 

Todos: Senhor, eu confio em ti!

Um dos membros da família:  Pelas vítimas da atual pandemia do coronavírus: aos mortos lhes concedas a paz e aos feridos seja prestada toda a assistência necessária, nós te pedimos: 

Todos: Senhor, eu confio em ti!

Um dos membros da família:  Pelas crianças, adolescentes e jovens, que sentem a falta da alegria da fé, nas festas e celebrações da catequese: nas suas famílias e nos ambientes sociais e digitais, nunca se envergonhem de Jesus Cristo e deem testemunho do Evangelho, nós te pedimos: 

Todos: Senhor, eu confio em ti!

Um dos membros da família: [acrescenta a tua intenção], nós te pedimos: 

Todos: Senhor, eu confio em ti!

Guia: Vós, humildes, olhai e alegrai-vos, buscai o Senhor e o vosso coração se reanimará. Porque sabemos que valemos muito mais que os passarinhos e que Deus Pai cuida de nós com amor, rezemos como Jesus Cristo nos ensinou: 

Todos: Pai nosso…

ASSUMIMOS UM COMPROMISSO

Um dos membros da família:   Queremos vencer o medo e crescer na confiança em Deus. A seus olhos valemos muito mais! A melhor maneira de vencer o medo é arriscar a vida pela vida, como a de tantos heróis dos dias de hoje, no campo da saúde, da segurança, da limpeza, dos serviços básicos. E, quando o medo nos assaltar, não deixemos de rezar, ao longo do dia: «Senhor, olha os meus medos e dá-me a coragem da fé».

Guia: Bendigamos o Senhor! 

Todos: Graças a Deus!


Oração para a bênção da mesa

Guia: Senhor, nosso Deus e nosso Pai,
com admirável providência,
vestes os lírios do campo
e dás alimento às aves do céu.
Com amor paterno,
cuidas dos Teus filhos,
que valem muito mais
do que todos os passarinhos,
alimentando-nos,
no presente com o pão de cada dia
e saciando-nos com o Pão da Eucaristia.
Que a alegria desta refeição, em família,
nos faça proclamar sobre os telhados,
que Tu és Pai e que ninguém
é tão Pai como Tu.
Abençoa-nos no Teu Amor.

Todos: Ámen.

Padre Francisco Andrade



Partilhe:

Comentar