Paróquia

Liturgia Familiar: 11.º Domingo do Tempo Comum – B

Parábola do Semeador

A semente é a Palavra de Deus…


Na proximidade do verão, são-nos oferecidas algumas belas imagens a partir da natureza. Para anunciar o reino de Deus, ou seja, para falar da contínua ação do Espírito Santo, Jesus Cristo propõe-nos duas parábolas: a da semente e a do grão de mostarda.
Não são histórias da carochinha as parábolas do Reino, que Jesus nos conta. Deixemos que o tempo, com o Senhor, na Eucaristia, seja o tempo do agir de Deus, que tanto pede a nossa colaboração como a nossa confiança, para sonharmos juntos um futuro melhor.
Chegamos ao termo de mais um ano catequético. Não é o termo dos nossos encontros com o Senhor. Para Deus não há férias. Ele espera por nós cada Domingo para com alegria e em família celebrarmos a festa da Eucaristia.

Deixaremos, por algum tempo, de enviar esta proposta de Liturgia Familiar. Por isso, convido todos a aproximarem-se, presencialmente, da celebração da Eucaristia. Todos precisamos de todos para ser mais e melhores cristãos. Não nos acomodemos.

SAUDAÇÃO

As parábolas contadas por Jesus Cristo destinam-se a fazer-nos entrar no modo de Deus ser e agir neste mundo, a partir do coração de cada pessoa. Ali, onde o amor de Deus, secreto e discreto, nos alcança e transforma, ali germina, cresce, floresce e frutifica a ação divina ou o Reino de Deus. As parábolas deste domingo desafiam-nos a acreditar no potencial da pequena semente.

Guia: Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.
Todos: Ámen.

PEDIMOS PERDÃO

Guia: Semeador generoso da Palavra de Deus em nossos corações: Senhor, misericórdia!
Todos: Senhor, misericórdia!

Guia: Árvore frondosa da Cruz em que frutifica a semente lançada à terra: Cristo, misericórdia!
Todos: Cristo, misericórdia!

Guia: Juiz misericordioso, na hora da colheita da nossa vida: Senhor, misericórdia!
Todos: Senhor, misericórdia!

ACOLHEMOS A PALAVRA

Do Evangelho de São Marcos – 4, 26-24

Naquele tempo, disse Jesus à multidão:
“O reino de Deus é como um homem que lançou a semente à terra.
Dorme e levanta-se, noite e dia, enquanto a semente germina e cresce, sem ele saber como.
A terra produz por si, primeiro a planta, depois a espiga, por fim o trigo maduro na espiga.
E quando o trigo o permite, logo se mete a foice, porque já chegou o tempo da colheita”.
Jesus dizia ainda: “A que havemos de comparar o reino de Deus?
Em que parábola o havemos de apresentar?
É como um grão de mostarda, que, ao ser semeado na terra,
é a menor de todas as sementes que há sobre a terra;
mas, depois de semeado, começa a crescer e torna-se a maior de todas as plantas da horta,
estendendo de tal forma os seus ramos que as aves do céu podem abrigar-se à sua sombra”.
Jesus pregava-lhes a palavra de Deus com muitas parábolas como estas,
conforme eram capazes de entender. E não lhes falava senão em parábolas;
mas, em particular, tudo explicava aos Seus discípulos.

PARTILHAMOS A PALAVRA

Jesus Cristo ensina-nos a olhar com olhos novos para descobrir as sementes de Deus, a Sua presença viva e fecunda na nossa vida. Custa-nos perceber, também aceitar, o ritmo de Deus. Custa-nos perceber, também acreditar, que estamos em contínuo processo, passo a passo, pequenos passos de cada vez. E caímos na tentação extrema de cruzar os braços, pensar que não há nada a fazer.
A ‘série’, que termina neste ‘episódio’, deu-nos a conhecer a graça viva e ativa, potente e transformadora, que nos habita e nos conduz, que nos faz ‘falar outras línguas’, ou seja, acreditar nos processos e na criatividade do Espírito de Deus. A vida espiritual é uma semente capaz de germinar e frutificar, um processo sereno e confiante enraizado em Deus. A partir das pequenas coisas, daquilo que nos parece banal, até das nossas fragilidades veniais, que acabam por ser decisivas na construção da nossa identidade. É, pois, um apelo a acreditarmos nessa possibilidade, a cultivarmos a esperança. Sem pressa e ansiedade. Sem exigir resultados imediatos. O simples respirar pode ser um compromisso de oração, uma consciência ativa e criativa. O quotidiano ‘Sinal da Cruz’, feito com serenidade, pode ser essa semente que faz germinar e crescer a nossa relação de amizade com Deus, faz “maior” o projeto de Deus em nós.

APRESENTAMOS AS NOSSAS PRECES

Guia: Ao nosso Deus que, por onde passa, faz brotar a abundância, nós confiamos as preces do Seu povo, dizendo: Escuta a nossa oração!

Pela Igreja de Jesus Cristo: para que seja como uma árvore frondosa, um abrigo seguro de amor e de paz, para todos, nós Te pedimos:
Todos: Escuta a nossa oração.

Pelos que governam os povos: para que saibam acolher, integrar e promover os mais pequenos e os humildes da Terra, nós Te pedimos:
Todos: Escuta a nossa oração.

Pelos educadores cristãos: para que confiem na força vital das sementes de bem e de verdade, respeitem a singularidade de cada educando, deixando-os crescer à medida dos Teus sonhos, nós Te pedimos:
Todos: Escuta a nossa oração.

Pela nossa família: para que confiemos na fecundidade das Tuas sementes, destinadas a frutificar nos corações humildes e sonhemos todos juntos o caminho para um futuro melhor, nós Te pedimos:
Todos: Escuta a nossa oração.

[acrescenta a tua intenção], nós te pedimos:
Todos: Escuta a nossa oração.

Guia: Filhos amados de Deus, rezamos:
Todos: Pai nosso…

ASSUMIMOS UM COMPROMISSO

Guia: Sonhar a vida, a família, a comunidade e o mundo que Deus quer, depois do pesadelo desta pandemia. Sonhar diferente, sonhar em grande, um sonho capaz de envolver a todos. Na família, quando se perde a capacidade de sonhar, o amor não cresce, os filhos não crescem, a vida debilita-se e apaga-se. Sonhemos juntos um futuro melhor! Bendigamos o Senhor!

Todos: Graças a Deus!

BÊNÇÃO DA FAMÍLIA E DA MESA (para rezar antes da refeição em família)

Senhor, da semente lançada à terra,
brotou a planta, a espiga
e por fim o trigo maduro na espiga.
Ensina-nos a saborear o pão
como fruto da terra e do trabalho humano,
fazendo tudo como se tudo dependesse de nós,
mas conscientes de que, na realidade,
tudo depende de Ti.
Por isso, nós Te louvamos e agradecemos
pela mesa da nossa refeição
e pela alegria da nossa comunhão.
Ámen.

Por: Padre Francisco Andrade
Pároco de Leça da Palmeira


RELACIONADOS:

Partilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
sendinblue