Paróquia

Liturgia Familiar do 2.º Domingo da Quaresma

Transfiguração Jesus - 2.º Domingo da Quaresma

“Este é o Meu Filho muito amado: Escutai-O”

Este Domingo somos convidados a subir ao monte com Jesus. Ali, devemos olhar para Ele, vê-l’O transfigurado, escutar a voz do Pai que O apresenta como Filho muito amado. Para além de O contemplarmos, somos, também, “desafiados” a escutá-l’O.

Atividade

  1. Retirar da arca o papiro que revela o tesouro que vamos valorizar ao longo da semana: as nossas raízes.
  2. Renovar o compromisso de viver a fé em família e de a transmitir de geração em geração.
  3. Ver num álbum familiar fotografias dos avós (bisavós, etc.) que nos transmitiram, com a vida, a herança preciosa da fé. Ver quem se parece com quem. Deixar esse álbum no cantinho da oração.
  4. Para os mais jovens: fazer a árvore genealógica da família (com fotos, cópias de registos de nascimento e matrimónio…), abrangendo várias gerações.
  5. Colocar, junto da cruz, uma imagem (ícone) da Transfiguração de Jesus.

LITURGIA FAMILIAR

A família pode reunir-se à volta da mesa, antes da refeição, ou junto do cantinho da oração.

Pode cantar-se um cântico conhecido pela família, próprio desta quadra (ou que tenha por tema a família e a sua unidade).

Em alternativa, um dos membros da família poderá declamar o hino que se segue que poderá também ser recitado por todos os presentes, divididos em dois grupos, alternando as estrofes:

Sobe Cristo ao Tabor,
com Pedro, com Tiago e com João,
e entra na alegria e no esplendor
da Transfiguração.

Seu rosto se ilumina
e fala com Moisés e com Elias.
Renovam-se na Sua Luz Divina
a lei e as profecias.

Tudo é glória no céu.
Nunca se viu mais refulgente brilho.
“Eis o meu Bem-Amado – disse Deus –
escutai o Meu Filho”.

Suspenso da visão,
que torna Deus presente à vida humana,
exulte o amor de cada coração:
Louvor a Vós! Hossana!

Durante o canto ou o hino, o elemento mais novo da família, se já for capaz, acende uma vela. Em seguida, todos fazem o sinal da cruz enquanto o/a Guia diz:

Introdução

G. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

R. Ámen.

G. Celebrastes connosco, Senhor, uma aliança eterna.

R. Renovamos, hoje, o nosso sim!

Invocação
(recitada alternadamente pela família, dividida em 2 grupos)

A. Se Deus está por nós, quem estará contra nós?

B. Como não havia Deus de nos dar, com Jesus, todas as coisas?

A. Grandes e admiráveis são as vossas obras, Senhor.

B. Bendito sejais para sempre.

Evangelho

G. Escutemos o santo Evangelho de nosso Jesus Cristo segundo Marcos – 9, 2.4-7

Naquele tempo, Jesus tomou consigo Pedro, Tiago e João
e subiu só com eles para um lugar retirado num alto monte
e transfigurou-Se diante deles.
Apareceram-lhes Moisés e Elias, conversando com Jesus.
Pedro tomou a palavra e disse a Jesus:
“Mestre, como é bom estarmos aqui!
Façamos três tendas: uma para Ti, outra para Moisés, outra para Elias”.
Não sabia o que dizia, pois estavam atemorizados.
Veio então uma nuvem que os cobriu com a sua sombra
e da nuvem fez-se ouvir uma voz:
“Este é o meu Filho muito amado: escutai-O”.

Palavra da Salvação.

R. Glória a Vós, Senhor!

Reflexão
(facultativa) Os filhos perguntam e os pais respondem.

  • Porque terá Jesus subido a um alto monte?
    Foi num monte que Deus aceitou o sacrifício de Abraão e Isaac, salvando o filho da promessa e futuro da Aliança; no monte Sinai foi celebrada a aliança com o Seu Povo libertado do Egito; a esse monte regressou Elias, para revalidar essa Aliança…
  • E que significa a nuvem?
    A nuvem, que nos envolve e não se deixa agarrar, indica a presença de Deus, próximo e transcendente: era na nuvem que Deus manifestava a sua presença, quando conduzia o seu Povo através do deserto.
  • Que representam Moisés e Elias?
    Moisés e Elias, depois de uma quaresma rigorosa, experimentaram a proximidade de Deus que deu a Lei ao seu povo (Moisés) e revalidou a Aliança esquecida (Elias). Na Transfiguração eles puderam, finalmente, contemplar o rosto de Deus na face transfigurada do seu filho muito amado, Jesus.
  • Qual é a principal mensagem deste texto?
    A mensagem fundamental é que Jesus é o Filho amado de Deus, a quem devemos escutar e seguir para participarmos do seu triunfo pascal.

Responsório Breve

G. Vós aproximastes-vos de Jesus, Mediador da Nova Aliança.
R. Não recuseis ouvir Aquele que vos fala.

G. Quem dera ouvísseis hoje a sua voz: Não endureçais os vossos corações.
R. Não recuseis ouvir Aquele que vos fala.

G. Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo!
R. Não recuseis ouvir Aquele que vos fala.

Louvor e gratidão
(um membro da família lê a primeira parte e todos respondem):

V. Porque nos deste a Lei e os Profetas para guiar o Teu povo:
T. Nós Te louvamos, Senhor.

V. Porque enviaste o teu Filho muito amado como nova e eterna Aliança:
T. Nós Te louvamos, Senhor.

V. Porque somos uma família que vive e transmite a fé de geração em geração:
T. Nós Te louvamos, Senhor.

G. Porque somos filhos muito amados, rezemos ao Pai, por Cristo, no Espírito:

Pai Nosso…

Bênção

Se a oração se faz antes da refeição, pode terminar com esta Bênção:

G. Bendito sejas, ó Pai, que nos abençoas com esta refeição que vamos partilhar. Que ela seja para nós sinal de aliança contigo e da unidade da nossa família. Torna-nos cada vez mais atentos uns aos outros e a todos os irmãos.

Todos fazem o sinal da cruz, enquanto o/a Guia conclui:

G. Em nome do Pai…

Se a oração se faz noutros momentos, pode terminar com esta Bênção, dita pelo(a) Guia, enquanto todos se benzem fazendo o sinal da cruz:

G. O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna.

R. Ámen.

Louvavelmente, os pais abençoarão os filhos impondo a mão direita sobre as suas cabeças ou com outro gesto, segundo o costume. Os filhos, agradecidos, poderão beijar a mão de quem os abençoa.

Por: Padre Francisco Andrade
Pároco de Leça da Palmeira


RELACIONADOS:

Partilhe:
  • 1
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    2
    Shares
  • 1
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •