Paróquia

Liturgia Familiar: 1.º Domingo do Advento – B

1.º Domingo do Advento - B

Entramos num novo ano litúrgico e com ele num novo tempo – o tempo do Advento, tempo que nos ajuda a preparar um grande acontecimento ocorrido na Terra há mais de dois mil anos: o nascimento de Jesus, o Filho de Deus, o Salvador do mundo. Somos convidados a acolhê-lo com alegria. Não deixemos, por isso, de viver na expetativa este precioso tempo, respondendo ao convite que a liturgia deste primeiro Domingo nos faz: VIGIAI.

Oração em família

Notas práticas
 

  1. Quem não pode ou não deve deslocar-se à assembleia eucarística onde floresce o Espírito, seja por obrigação legal de permanecer no domicílio, seja por integrar grupos de risco ou apresentar sintomas ainda não verificados, seja por outra qualquer causa alheia à sua vontade, nem por isso está dispensado de santificar o dia do Senhor pelos meios ao seu alcance:
  • vivendo na alegria espiritual o dia da ressurreição do Senhor Jesus;
  • realizando com amor sublimado os serviços que a convivência familiar reclama, sem descurar o conveniente repouso do corpo e do espírito; 5
  • dedicando um tempo razoável à oração pessoal e, se possível, em família, com a leitura da Sagrada Escritura e outros exercícios de piedade;
  • unindo-se espiritualmente, se possível, a alguma celebração eucarística transmitida pela rádio, televisão ou internet (Facebook da paróquia);

– estabelecendo contacto, pelos meios disponíveis, com familiares, amigos e conhecidos, privilegiando os que mais sofrem a doença ou a solidão;

  • estando solidariamente atento às necessidades e alegrias dos vizinhos…

2. O esquema de oração que aqui se apresenta não substitui nem dispensa a Eucaristia do Domingo celebrada em comunidade, sempre que possível. Deve antes prepará-la ou prolongá-la.

3. Convém escolher na casa um espaço adequado para celebrar e rezar juntos com dignidade e recolhimento. Onde for possível, prepare-se um pequeno “recanto da oração” ou, pelo menos, um canto da casa onde neste tempo de Advento, se coloca a Bíblia aberta, o presépio em construção, eventualmente a coroa de advento com as suas quatro ou cinco velas a acender progressivamente, um ícone/imagem da Virgem Maria (pode ser a que vai figurar no presépio). A oração pode também fazer-se reunindo a família em redor da mesa da refeição, porventura já posta para o repasto familiar dominical, ou adornada com uma toalha, uma bíblia e uma vela.

4. A caminhada do Advento ao Natal inclui dez dias santos de preceito: antes do Natal, os 4 domingos de advento e a solenidade da Imaculada Conceição; no tempo festivo, o Natal do Senhor, a Festa da Sagrada Família, as Solenidades de Santa Maria Mãe de Deus e da Epifania e a festa do Batismo do Senhor. Sugerimos como atividade para os mais novos a preparação e decoração de uma estrela de cinco pontas, subdividindo cada ponta em duas partes por uma bissetriz: cada metade das cinco pontas ir-se-á pintando progressivamente e nela se escreverá uma palavra-chave: ou a sugerida na caminhada para cada dia ou a que cada família decidir; no centro da estrela pintar-se-á uma imagem de Jesus-Menino. No dia de Natal, colocar-se-á a estrela na árvore ou sobre a cabana do presépio e depois ir-se-á retomando para colorir e escrever a palavra das cinco meias pontas restantes.

Em vez de pendurar a estrela, também se poderá colocar na horizontal, como estrutura para a coroa de Advento/Natal, colocando as 4 velas de cada semana do Advento nas 4 pontas laterais e reservando o vértice para uma vela diferente a acender no Natal. No centro colocar-se-á a imagem do Menino, apenas no dia 25 de dezembro. Mas as outras imagens do presépio poder-se-ão ir colocando nos ângulos e em redor da estrela, de forma progressiva.

5. Cada família poderá adaptar o esquema conforme as necessidades. A oração pode ser guiada umas vezes pela mãe e outras pelo pai (G). As respostas dos presentes são sinalizadas com a sigla R.

Pode cantar-se um cântico próprio desta quadra (ou que tenha por tema a família e a sua unidade), à escolha de cada família. O elemento mais novo da família, se já for capaz, acende uma vela: pode ser a primeira da coroa de advento. Em seguida, todos fazem o sinal da cruz enquanto o/a Guia diz:

Introdução

G. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

R. Ámen.

G. Vem, Senhor, ao nosso encontro

R. Caminhamos para Ti! 

Invocação

Sugerimos a recitação alternada de dois em dois versos, entre os membros da família (por ex., de cada lado da mesa; pais e filhos, etc.)

Escuta-nos, ó Bom Pastor!
Desperta o Teu poder e ajuda-nos!
Olha dos céus e vê, visita-nos de novo;
protege-nos e dá-nos a Tua força.

Lembra-te de que és o nosso Criador,
somos obra das Tuas mãos.
Não permitas que andemos longe de Ti,
dá-nos vida e saúde para Te invocarmos.

Bom Pastor, nosso irmão, mostra-nos o Teu rosto,
guia-nos no caminho da fraternidade.
 
G. Escutemos agora o Santo Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos (Mc 13, 33-37)

(O Evangelho pode ser lido por quem guia a oração ou por outro familiar)
 
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos:
“Acautelai-vos e vigiai, porque não sabeis quando chegará o momento.
Será como um homem que partiu de viagem:
ao deixar a sua casa, deu plenos poderes aos seus servos,
atribuindo a cada um a sua tarefa, e mandou ao porteiro que vigiasse.
Vigiai, portanto, visto que não sabeis quando virá o dono da casa:
se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se de manhãzinha;
não se dê o caso que, vindo inesperadamente, vos encontre a dormir.
O que vos digo a vós, digo-o a todos: Vigiai!”.

Palavra da salvação.

Reflexão

Onde for possível, os filhos perguntam e os pais respondem.

  • Quem é o dono da casa e quem são os empregados?

O dono da casa é Jesus e nós todos somos os empregados, cada um com a sua responsabilidade para em conjunto cuidarmos da casa de Jesus; esta casa é o conjunto das pessoas que formam a Igreja, nas quais Ele habita.

  • O que temos de vigiar?

Temos de estar atentos a nós mesmos e aos irmãos à nossa volta, para não descuidarmos a obrigação de cuidar uns dos outros e do mundo em que vivemos, de forma que tudo seja conforme aos projetos de Deus.

Que tem de especial a vigilância de que Jesus falou?

Jesus não nos convida a vigiar contra ninguém. Pelo contrário, quernos despertos e atentos para O acolhermos quando vem ter connosco.
 

Preces

Um membro da família lê a primeira parte e todos respondem.

Jesus, ensina-nos a estar atentos:

  • para acolhermos a Tua vinda.

Saibamos vigiar como o porteiro:

  • para acolhermos a Tua vinda.

Não nos deixes adormecer:

  • para acolhermos a Tua vinda.

Durante uns segundos, em silêncio e/ou partilhando, cada um faz a sua oração de louvor/súplica.

G. Porque desejamos a vinda do Reino de Deus, rezemos:
 
Pai Nosso…

Atividade

Neste momento ou noutro, ao longo da semana, compor a ESTRELA escrevendo a palavra que nos guia: FRATERNIDADE.

Bênção

Se a oração se faz antes da refeição, pode terminar com esta Bênção

G. Abençoa-nos, ó Pai. Esta refeição que vamos partilhar seja para nós sinal do amor que nos une e nos ajude a permanecer vigilantes e atentos uns aos outros e a todos os irmãos. Por Cristo, nosso Senhor.

R. Ámen.

Todos fazem o sinal da cruz, enquanto o/a Guia diz:

G. Em nome do Pai…

Se a oração se faz noutros momentos, pode terminar com esta Bênção, dita pelo(a) Guia, enquanto todos se benzem fazendo o sinal da cruz:

G. O Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna.

R. Ámen.

Louvavelmente, os pais abençoarão os filhos impondo a mão direita sobre as suas cabeças ou com outro gesto, segundo o costume. Os filhos, agradecidos, poderão beijar a mão do progenitor que os abençoa.


RELACIONADOS:

Partilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
sendinblue