Paróquia

Liturgia Familiar: Proposta para o 28.º Domingo Comum

Ceia do Senhor

“Vinde à Ceia do Senhor, vinde ao banquete dos pobres…”


Só quem é verdadeiramente humilde e se sente realmente pobre, no verdadeiro sentido da palavra, aceita o convite do “rei”: “Vinde! O banquete está preparado”.
Custa compreender porque é que muitos, ainda, recusam participar do banquete, ou seja, recusam alimentar-se do Corpo do Senhor. É pena. Ainda não descobriram a grande riqueza que está sempre tão perto e à disposição de todos.
Nestes tempos de “pandemia”, há quem se contente em participar na Eucaristia à distância, pelos meios de comunicação social ou redes sociais. Não é a mesma coisa. Só está dispensado quem, por motivos de doença ou idade, não pode mesmo celebrar presencialmente a Eucaristia, que é como temos tantas vezes dito: cume e fonte da vida cristã.
Que nunca ouçamos da boca do Mestre: “Porque te acomodaste, não és digno(a) do meu banquete”.

LITURGIA FAMILIAR

SAUDAÇÃO

Guia: Somos felizes, porque fomos convidados para o banquete do Senhor. À mesa da família, em nossa casa, ou à mesa da eucaristia, na nossa casa comum, celebramos a alegria do amor em família, a alegria do amor de Deus por nós. O nosso Deus é um Deus da alegria, do amor, da dança e da abundância, do banquete e da festa, da convivialidade e da comunhão. Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

Todos: Ámen.

PEDIMOS PERDÃO

Um dos membros da família: Pelas vezes em que não respondemos com generosa prontidão à Tua chamada para a missão. Senhor, misericórdia.

Todos: Senhor, misericórdia.

Um dos membros da família: Pelas vezes em que não somos capazes de dar o nosso tempo aos que sofrem a doença, a tribulação, o medo ou o isolamento e a solidão: Cristo, misericórdia.

Todos: Cristo, misericórdia.

Um dos membros da família: Pelas vezes que a abundância nos fez esquecer os pobres que passam fome: Senhor, misericórdia.

Todos: Senhor, misericórdia.

ACOLHEMOS A PALAVRA

Leitura do Santo Evangelho segundo São Mateus – 22, 1-14

Naquele tempo, Jesus dirigiu-Se de novo aos príncipes dos sacerdotes
e aos anciãos do povo e, falando em parábolas, disse-lhes:
“O reino dos Céus pode comparar-se a um rei
que preparou um banquete nupcial para o seu filho.
Mandou os servos chamar os convidados para as bodas,
mas eles não quiseram vir.
Mandou ainda outros servos, ordenando-lhes:
‘Dizei aos convidados: Preparei o meu banquete,
os bois e os cevados foram abatidos, tudo está pronto.
Vinde às bodas’. Mas eles, sem fazerem caso,
foram um para o seu campo e outro para o seu negócio;
os outros apoderaram-se dos servos, trataram-nos mal e mataram-nos.
O rei ficou muito indignado e enviou os seus exércitos,
que acabaram com aqueles assassinos e incendiaram a cidade.
Disse então aos servos:
‘O banquete está pronto, mas os convidados não eram dignos.
Ide às encruzilhadas dos caminhos
e convidai para as bodas todos os que encontrardes’.
Então os servos, saindo pelos caminhos,
reuniram todos os que encontraram, maus e bons.
E a sala do banquete encheu-se de convidados.
O rei, quando entrou para ver os convidados,
viu um homem que não estava vestido com o traje nupcial e disse-lhe:
‘Amigo, como entraste aqui sem o traje nupcial?’.
Mas ele ficou calado. O rei disse então aos servos:
‘Amarrai-lhe os pés e as mãos e lançai-o às trevas exteriores;
aí haverá choro e ranger de dentes’.
Na ver¬dade, muitos são os chamados, mas poucos os esco¬lhidos”.

PARTILHAMOS A PALAVRA

Guia: O banquete é a aliança oferecida por Deus, através da entrega de Jesus Cristo. Desta aliança, a Eucaristia é um dos sinais mais perfeitos, assim como há de ser, ainda que de maneira imperfeita, a vida dos cristãos (e da Igreja) no meio do mundo. Não é verdade, que o convite continua a ser recusado, às vezes até por cada um de nós?! O mais bonito, e porventura provocador, é que Deus não desiste do banquete, não abdica de querer salvar a todos, não deixa de convidar, quer reunir toda a humanidade em Sua casa. Hoje, não tomemos apenas as faltas aos sacramentos ou outros momentos comunitários de celebração da fé. Lembremos também o escândalo que é deixar milhões de pessoas fora do banquete (mesa) de uma vida humana digna. Lembremos os atropelos que causamos ao planeta Terra, nossa Casa Comum. Se nada fizermos de pouco, tudo permanecerá na mesma!

APRESENTAMOS AS NOSSAS PRECES

Guia: Confiantes no amor de Deus Pai e Criador, que proverá com abundância a todas as nossas necessidades, digamos: Senhor, escuta a nossa oração.

Todos: Senhor, escuta a nossa oração.

Um dos membros da família: Pela Igreja, que Jesus faz sair de si mesma: para que se deixe impelir e conduzir pelo Espírito, para tocar e transformar as mentes e os corações, as sociedades e as culturas, nós Te pedimos:

Todos: Senhor, escuta a nossa oração.

Um dos membros da família: Pelos que governam o mundo: para que saibam distribuir com justiça os bens da mesa da Criação, para que a abundância de uns não se alimente da fome de outros, nós Te pedimos:

Todos: Senhor, escuta a nossa oração.

Um dos membros da família: Pelos cristãos que não podem celebrar a Eucaristia: para que, na alegria do amor em família, transformem a mesa do lar em mesa da Palavra e da oração em comum, nós Te pedimos:

Todos: Senhor, escuta a nossa oração.

Um dos membros da família: Pela nossa família: para que, ao Teu convite, que nos chama e envia, respondamos com a alegria da prontidão, nós Te pedimos:

Todos: Senhor, escuta a nossa oração.

Um dos membros da família: [acrescenta a tua intenção], nós Te pedimos:

Todos: Senhor, escuta a nossa oração.

Guia: Rezemos como Jesus Cristo nos ensinou:

Todos: Pai nosso…

ASSUMIMOS UM COMPROMISSO

Guia: Em pleno “Outubro Missionário” podemos assumir um gesto gratuito de missão: uma conversa paciente ou o cuidado atento de um familiar ou vizinho; um convite feito com alegria a um amigo para participar connosco na Eucaristia (se não puder ser ao domingo, que seja num outro dia); um serviço concreto à comunidade paroquial, que vive da dedicação pessoal. Bendigamos o Senhor!

Todos: Graças a Deus!

BÊNÇÃO DA FAMÍLIA E DA MESA

Guia: Senhor, nosso Deus e nosso Pai: Tu nos convidas a viver e a conviver, na alegria e na harmonia de irmãos, reunidos à volta desta mesa familiar, onde abundam os bens da Criação. Abençoa-nos, para que esta mesa nos sirva também o Pão da Palavra, avive em nós a fome do Pão da Eucaristia e abra as nossas mãos à caridade.

Todos: Ámen.

Nota: Decorre deste domingo ao próximo a semana de oração pelas missões, este ano sob o lema “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8). Ofertório das Missas de sábado, dia 17, e domingo, dia 18, destina-se à causa da atividade missionária da Igreja. Cada um interrogue-se sobre a disponibilidade para ser uma missão na sua terra ou mais além.

  •  
    3
    Shares
  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Leave a Reply