Matosinhos em Jazz traz dois concertos gratuitos e absolutamente imperdíveis

Matosinhos em Jazz traz Gregory Porter
Partilhe:

Translate


Matosinhos em Jazz junta a voz (e os grammy) de Gregory Porter à Sinfónica do Porto e à Orquestra Jazz de Matosinhos[su_spacer]

Não é de agora que Matosinhos e o jazz estão numa relação séria. As noites de 28 e 29 de julho prometem, porém, aquecer ainda mais o antigo namoro da cidade com o género musical que Julio Cortázar definiu como sendo aquele que permite todas as imaginações. Bem a propósito, a primeira edição da iniciativa Matosinhos em Jazz trará à Praça Guilhermina Suggia dois concertos gratuitos e absolutamente imperdíveis: a reedição, a 29, do inesquecível encontro das canções de Gregory Porter com a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, ocorrido há dois anos, e, a no dia 28, o concerto da OJM que evoca o naufrágio paquete Veronese, ocorrido em 1913.

 

Agora carregada com dois Grammy Awards na categoria de Melhor Álbum de Jazz Vocal (por “Liquid Spirit”, em 2014, e mais recentemente por “Take Me to the Alley”), a bagagem do norte-americano Gregory Porter carrega uma tonalidade vocal ímpar e um conjunto de canções que a revista “DownBeat” considera como sendo os prováveis standars do jazz do século XXI. Tal como sucedeu há dois anos no concerto na Casa da Música, a Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música conferirá uma feição única a um conjunto de temas que fundem elementos do jazz, do blues, do gospel e da soul.

 

Os arranjos para as composições daquele que é um dos mais destacados nomes do jazz mundial da atualidade ficaram a cargo de W. Friede, M. Fondse e T. Trapp, explorando as inúmeras possibilidades expressivas de uma música vibrante, cálida e emotiva. O concerto de Matosinhos será, refira-se, o único da digressão europeia de Gregory Porter em que o cantor e compositor atuará acompanhado por uma orquestra sinfónica.

 

Para o primeiro dia do Matosinhos em Jazz está guardada mais um presente da big band que leva o nome de Matosinhos a todo o mundo. Tendo como ponto de partida um filme histórico que mostra o trágico naufrágio do paquete Veronese, ocorrido em 1913 ao largo da Praia da Boa Nova, em Matosinhos, a Orquestra Jazz de Matosinhos preparou um cine-concerto em que as imagens do socorro e do resgate dos náufragos serão acompanhadas pela peça “Costa Muda”, composta por Luís Tinoco.

 

Estreado em 2013, aquando do centenário da tragédia, na Casa da Música do Porto, o concerto incluirá ainda um conjunto de curtas-metragens realizadas por João Canijo, Tiago Guedes, Sandro Aguilar, Francisco Moura e Margarida Cardoso, às quais se somarão composições de Mário Laginha, Pedro Guedes, Carlos Azevedo, Ohad Talmor e Bernardo Sassetti, respetivamente.

28 e 29 de julho
22 horas
Praça Guilhermina Suggia

Matosinhos em Jazz


Partilhe:

Comentar