Câmara antecipa abertura de concurso público para a concessão dos transportes públicos em Matosinhos

Resende

Partilhe:

Translate


O presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Eduardo Pinheiro, comunicou hoje à administração da operadora de transportes públicos Resende, Atividades Turísticas, SA que vai propor à Área Metropolitana do Porto a antecipação, com efeitos imediatos, da abertura de um concurso público para a concessão dos transportes públicos em Matosinhos. A decisão foi dada a conhecer durante uma reunião hoje realizada, a qual juntou os responsáveis da autarquia, da Área Metropolitana do Porto e da Resende. A proposta para a imediata abertura do concurso para a nova concessão de transportes público em Matosinhos será formalizada na próxima reunião do Conselho Metropolitano, marcada para 28 de julho.

Tolerância zero para a Resende

O investimento insuficiente na substituição, conservação e manutenção de viaturas, bem como os dados alarmantes que constam do relatório elaborado pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes, na sequência da solicitação feita pela Câmara Municipal de Matosinhos após um acidente mortal ocorrido em outubro último com uma viatura daquela empresa, levaram ainda a autarquia e a Área Metropolitana do Porto a declararem tolerância zero relativamente a quaisquer acontecimentos e incidentes que radiquem em questões operacionais da empresa Resende, podendo estar em causa a substituição total ou parcial da rede de transportes públicos por razões de segurança ou risco público.

CMM


Partilhe:

3 Comentários

  • Efetivamente os carros e a manutencao sao o caos,tem de acabar de uma vez mas tambem é inadmissivel a comunicacao social mostrar autocarros da valpi totalmente queimados e tentar iludir as pessoas que os carros sao da empresa resende.

  • Espero que a nova empresa mantanha os postos de trabalho e acima de tudo a pontualidade que a atual empresa Resende tem no comprimento dos horarios

  • Já ontem era tarde.
    Essa empresa Resende já deveria ter saído de circulação há muito tempo e NÃO deve ser parcial mas sim TOTAL
    CHEGA DE CORRER RISCOS,
    CHEGA DE BRINCAR COM A VIDA DOS PASSAGEIROS E DOS MOTORISTAS QUE LÁ TRABALHAM.
    Só espero que com isto mantenham os postos de trabalho do pessoal que nada tem a ver com isto

Comentar