Paróquia

Liturgia Familiar: Proposta para o 32.º Domingo Comum

Liturgia Familiar: Proposta para o 32.º Domingo Comum

Temos motivos mais que suficientes para nos decidirmos a ir ao encontro do Senhor. Nesta hora singular da história só Ele Mesmo nos pode realmente ajudar.
Precisamos na nossa diocese, urgentemente, de sacerdotes, de jovens audazes que sejam capazes de responder com generosidade ao convite que o Senhor lhes dirige.
Precisamos de confiar na força da oração e no amor do Senhor por todos, por cada uma e cada um de nós, pedindo-lhe que venha socorrer-nos, que venha libertar-nos desta Pandemia que tanto nos faz sofrer.

LITURGIA FAMILIAR

SAUDAÇÃO

Guia: Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

Todos: Ámen.

Guia: “Jesus chamou os que queria e foram ter com Ele” – é o lema da Semana de Oração pelos Seminários. Esta prontidão da resposta, para ir ao encontro do Senhor, é o que espera Jesus Cristo, o Esposo, quando nos chama a entrar na intimidade do seu amor por nós.  A cada um pede que não deixemos esmorecer o desejo, que não deixemos apagar o fogo desta chamada. Ao forte brado, que nos acorda do sono, “aí vem o Esposo; ide ao Seu encontro”, levantemo-nos imediatamente com as candeias da fé, da esperança e do amor bem acesas.

PEDIMOS PERDÃO

Um membro da família: Senhor, Esposo da Igreja, és o rosto da sabedoria revelada aos homens e mulheres: Senhor, misericórdia.

Todos: Senhor, misericórdia.

Um membro da família: Cristo, Morto e Ressuscitado, és a força viva da esperança para Todos os pecadores: Cristo, misericórdia.

Todos: Cristo, misericórdia.

Um membro da família: Senhor, Porta da Vida, és a luz, a lâmpada acesa que ilumina a glória do Reino: Senhor, misericórdia.

Todos: Senhor, misericórdia.

ACOLHEMOS A PALAVRA

[Ver/ouvir a primeira parte do vídeo/áudio disponível em https://laboratoriodafe.pt/; quem não tem acesso aos meios digitais pode ler o texto da folha em anexo]

Leitura do Santo Evangelho segundo São Mateus – 25, 1-13

Naquele tempo, disse Jesus aos Seus discípulos a seguinte parábola:
“O reino dos Céus pode comparar-se a dez virgens,
que, tomando as suas lâmpadas, foram ao encontro do esposo.
Cinco eram insensatas e cinco eram prudentes.
As insensatas, ao tomarem as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo,
enquanto as prudentes, com as lâmpadas, levaram azeite nas almotolias.
Como o esposo se demorava, começaram todas a dormitar e adormeceram.
No meio da noite ouviu-se um brado: ‘Aí vem o esposo; ide ao seu encontro’.
Então, as virgens levantaram-se todas e começaram a preparar as lâmpadas.
As insensatas disseram às prudentes:
‘Dai-nos do vosso azeite, que as nossas lâmpadas estão a apagar-se’.
Mas as prudentes responderam:
‘Talvez não chegue para nós e para vós. Ide antes comprá-lo aos vendedores’.
Mas, enquanto foram comprá-lo, chegou o esposo.
As que estavam preparadas entraram com ele para o banquete nupcial; e a porta fechou-se.
Mais tarde, chegaram também as outras virgens e disseram:
‘Senhor, senhor, abre-nos a porta’.
Mas ele respondeu: ‘Em verdade vos digo: Não vos conheço’.
Portanto, vigiai, porque não sabeis o dia nem a hora”.

[Ver/ouvir a segunda parte do vídeo/áudio…]

PARTILHAMOS A PALAVRA

Guia: As incertezas deste tempo de pandemia têm gerado preocupação e ansiedade, tensões e angústias. Em simultâneo, vivemos com expetativa a chegada de uma vacina que possa travar a propagação deste
coronavírus. Estamos como aquelas dez virgens à espera do noivo. A parábola confronta-nos com o sentido último da nossa vida: a resignação à finitude, simbolizada na falta de azeite das virgens insensatas; ou a chama de infinito, expressa pelo suplemento de azeite que as virgens prudentes tinham nas almotolias. O azeite é a nossa confiança em Deus. Jesus Cristo quer avivar em nós a confiança, não meter medo, mas despertar o desejo de Deus, a ânsia de ir ao Seu encontro. Estou pronto para ir ao seu encontro? O salmo deste dia sugere uma metáfora preciosa para ajudar a refletir sobre o nosso encontro com o esposo: “a minha alma tem sede de vós, meu Deus”. É a imagem da sede de estar juntos, o passar a noite a pensar no amado, como a necessidade de azeite para alimentar o fogo do amor. É assim a minha relação com Deus? Tenho ‘sede’ de Deus?

APRESENTAMOS AS NOSSAS PRECES

Guia: A nossa alma tem sede de Deus, por Ele suspira como terra árida, nestes tempos em que quase se desvanece a nossa esperança. Vamos ao Seu encontro, com as nossas preces, dizendo: Fortalece a nossa
esperança.

Um membro da família: Pela Santa Igreja: seja verdadeira Esposa de Cristo, fiel, atenta, diligente e vigilante, voz de sabedoria e sinal amoroso de esperança, nós Te pedimos:

Todos: Fortalece a nossa esperança.

Um membro da família: Pelos que governam: saibam escutar a sabedoria do povo e ler os sinais dos tempos, de modo a encontrar respostas novas e justas ao clamor dos pobres, nós Te pedimos:

Todos: Fortalece a nossa esperança.

Um membro da família: Pelos seminários, equipas formadoras e seminaristas: sejam fortalecidos e animados no desempenho das suas funções e ponham em Ti toda a sua confiança, nós Te pedimos:

Todos: Fortalece a nossa esperança.

Um membro da família: Pela nossa família: cuidemos mais da nossa vida espiritual, para enfrentar com coragem estes tempos difíceis e caminharmos juntos na esperança, nós Te pedimos:

Todos: Fortalece a nossa esperança.

Um membro da família: [acrescenta a tua intenção], nós Te pedimos:

Todos: Fortalece a nossa esperança.

Guia: Rezemos como Jesus Cristo nos ensinou:

Todos: Pai nosso…

ASSUMIMOS UM COMPROMISSO

Guia: A Semana dos Seminários (que termina a 8 de novembro) inspira-nos três atitudes: gratidão, compromisso e esperança. O nosso compromisso pessoal e familiar pode-se concretizar na oração, na ajuda material ou através de outras expressões de acompanhamento aos seminaristas. Bendigamos o Senhor!

Todos: Graças a Deus!

BÊNÇÃO DA FAMÍLIA E DA MESA

Guia: Senhor, Deus de Amor: convidas-nos para a tua mesa, como um esposo para o banquete nupcial. A alegria do amor à volta desta mesa seja uma fonte inesgotável de energia, para vencermos esta dura pandemia e caminharmos juntos na luz da esperança.

Todos: Ámen.

Por: Padre Francisco Andrade
Pároco de Leça da Palmeira


RELACIONADOS:

Partilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •