Paróquia

Liturgia Familiar: Proposta para o XXI Domingo Comum

XXI Domingo Comum

Mais um domingo, mais uma oportunidade de vivermos o Dia do Senhor em Família, convocados pela Palavra de Deus que ilumina o nosso caminho e nos ajuda a perceber a Sua vontade a nosso respeito e, também, a saber quem é, na verdade, Jesus para nós.

Vamos caminhando. Uns, mais confiantes, celebrando a Fé na nossa casa de Família, claro, com prudência e segurança no respeito pelos irmãos. Outros, acreditamos com muita vontade, mas condicionados pela idade, doença ou fragilidade e, outros ainda, aprisionados pelo medo e desconfiança.

Não duvidemos do Senhor: Ele é a nossa força

LITURGIA FAMILIAR

SAUDAÇÃO

Guia: O clima de agosto parece mais propício à evasão, à fuga e à distração, do que ao silêncio, à reflexão, ao maravilhamento ou ao espírito de interrogação. Mesmo assim, não é fácil descartarmo-nos das muitas perguntas, dúvidas e medos, que nos fazem temer e tremer, quando são tão evidentes os destroços provocados pela pandemia! Deixemo-nos interpelar pelas muitas perguntas e desafios, que a Palavra de Deus, faz ressoar em nós. E que este encontro com o Senhor seja fonte de resiliência para ressurgirmos, desta crise, com renovada confiança. Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.

Todos: Ámen.

PEDIMOS PERDÃO

Um dos membros da família: Pelas vezes em que usamos as chaves da ciência e do conhecimento para afirmar, com arrogância, a nossa superioridade sobre os outros: Senhor, misericórdia.

Todos: Senhor, misericórdia.

Um dos membros da família: Pelas vezes em que usamos as chaves da autoridade e do poder, para fechar os outros dentro dos nossos próprios interesses: Cristo, misericórdia.

Todos: Cristo, misericórdia.

Um dos membros da família: Pelas vezes em que usamos as chaves das portas de nossa casa, para a fecharmos aos outros: Senhor, misericórdia.

Todos: Senhor, misericórdia

ACOLHEMOS A PALAVRA

Guia: Leitura do Santo Evangelho segundo São Mateus – 16, 13-20

Naquele tempo, Jesus foi para os lados de Cesareia de Filipe
e perguntou aos Seus discípulos:
“Quem dizem os homens que é o Filho do homem?”.
Eles responderam: “Uns dizem que é João Baptista, outros que é Elias,
outros que é Jeremias ou algum dos profetas”.
Jesus perguntou: “E vós, quem dizeis que Eu sou?”.
Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse:
“Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo”.
Jesus respondeu-lhe: “Feliz de ti, Simão, filho de Jonas,
porque não foram a carne e o sangue que to revelaram,
mas sim meu Pai que está nos Céus.
Também Eu te digo: Tu és Pedro; sobre esta pedra edificarei a minha Igreja
e as portas do inferno não prevalecerão contra ela.
Dar-te-ei as chaves do reino dos Céus:
tudo o que ligares na terra será ligado nos Céus,
e tudo o que desligares na terra será desligado nos Céus”.
Então, Jesus ordenou aos discípulos
que não dissessem a ninguém que Ele era o Messias.

PARTILHAMOS A PALAVRA

Guia: “E vós, quem dizeis que Eu sou?” Jesus pede-nos, no seio e no meio de uma comunidade, uma resposta pessoal de fé. Esta resposta da fé é mais do que um discurso, uma opinião, uma resposta decorada do catecismo. Não. A resposta da fé é uma adesão, um ato de confiança, uma decisão, uma profissão de fé, que nasce da experiência, da descoberta e do encontro íntimo e pessoal com Cristo! Respondamos-Lhe, também nós, hoje, com alegria, generosidade e coragem. E digamos-Lhe: “Jesus, eu sei que Tu és o Filho de Deus, que deste a Tua vida por mim. Quero seguir-Te fielmente e deixar-me guiar pela Tua Palavra. Tu conheces-me e amas-me. Eu confio em Ti e coloco nas Tuas mãos a minha vida inteira. Quero que sejas a força que me sustenta, a alegria que nunca me abandona” (Bento XVI).

Mas esta declaração de fé e amor em Jesus, o Messias, o Filho de Deus, não pode excluir o nosso amor à Igreja, que Jesus refere sempre como a “Sua” Igreja. Quem cede à tentação de seguir “por sua própria conta” ou de viver a fé segundo uma mentalidade individualista, corre o risco de nunca encontrar Jesus Cristo, ou de acabar por seguir e perseguir uma falsa imagem d’Ele.

Desta amizade com Jesus, nasce também o impulso que nos leva a dar testemunho da fé, nos mais diversos ambientes, incluindo nos lugares onde prevalece a rejeição ou a indiferença! É impossível encontrar Cristo, e não O dar a conhecer aos outros! Por isso, não guardemos Cristo para nós mesmos. Comuniquemos aos outros a alegria da nossa fé. Não o esqueçamos: também no Verão, “a alegria do Evangelho é a nossa missão”!

APRESENTAMOS AS NOSSAS PRECES

Guia: Ó Deus, nesta oração, aberta às necessidades de todos, e ao grito silencioso dos que sofrem, confiamos aos Teus desígnios insondáveis as preces da Tua Igreja, dizendo: Atende a nossa prece.

Todos: Atende a nossa prece.

Um dos membros da família: Pelo Papa Francisco, sucessor de Pedro: encontre, em todos os fiéis, uma resposta positiva ao desafio de uma Igreja em saída, para cuidar as feridas da humanidade, nós Te pedimos:

Todos: Atende a nossa prece.

Um dos membros da família: Pelos que detêm as chaves do poder: procurem, em diálogo com todos, as chaves da ciência e da sabedoria, para encontrar repostas justas e criativas à crise pandémica, nós Te pedimos:

Todos: Atende a nossa prece.

Um dos membros da família: Pelos que combatem a pandemia da COVID-19 e os incêndios deste verão: sejam reconhecidos e acompanhados na sua luta pela vida e pela defesa da Casa Comum, nós Te pedimos:

Todos: Atende a nossa prece.

Um dos membros da família: Pela nossa família: vivamos estes dias (de férias ou de trabalho) com o coração atento aos sinais da Tua presença e às grandes interrogações da vida, nós Te pedimos:

Todos: Atende a nossa prece.

[acrescenta a tua intenção], nós Te pedimos:

Todos: Atende a nossa prece.

Guia: Rezemos como Jesus Cristo nos ensinou:

Todos: Pai nosso…

ASSUMIMOS UM COMPROMISSO

Guia: A fé não é uma teoria. A fé é sempre prática. Como é que Jesus Cristo influencia a Tua vida quotidiana? Em que é que tu és diferente daqueles que não são cristãos? Esta semana vamos conversar em família sobre o que podemos fazer melhor para mostrar, na prática, que somos cristãos. Bendigamos o Senhor!

Todos: Graças a Deus!

BÊNÇÃO DA MESA

[PARA REZAR ANTES DA REFEIÇÃO EM FAMÍLIA]

Guia: Senhor, nosso Deus, dá-nos as chaves do poder do amor para abrirmos o nosso coração à Tua presença silenciosa e à graça de todos os que habitam esta casa. Abençoa, Senhor, esta nossa refeição, para que, comendo ou bebendo, glorifiquemos o Teu Santo Nome.

Todos: Ámen.


RELACIONADOS:

  •  
    17
    Shares
  • 17
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Leave a Reply