Noticias

APDL vai fazer “renascer” o Titan de Leixões

Renascer o Titan

Titan – o Renascer

A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) realizará, hoje, sexta-feira, dia 27 de Novembro, o evento de lançamento do projecto de restauro e reconstrução do icónico Titan de Leixões. A iniciativa arrancará às 12:30 horas e ocorrerá no Terminal de Cruzeiros.

O evento do projecto designado ‘Titan – o Renascer’ contará com a presença do Secretário de Estado Adjunto e das Comunicações, Hugo Santos Mendes, e da presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, Luísa Salgueiro. A iniciativa liderada pelo presidente da APDL, Nuno Araújo, contará também com a explicação técnica do historiador Joel Cleto. «A recuperação do Titan – estrutura movida a vapor que permitiu a construção daquele que, actualmente, é um dos maiores portos da Península Ibérica –, teve início este mês de Novembro e contará com um programa de ações completo que vai desde o envolvimento da comunidade escolar à comunidade artística», adiantou a administração portuária.

Titan de Leixões é infra-estrutura «incontornável» da região

APDL

O público em geral poderá assistir ao evento através das plataformas digitais da APDL, nomeadamente na página de Facebook “Titan – o Renascer”, criada em exclusivo para o projecto de restauro e recuperação daquela que é uma «infra-estrutura incontornável da história e identidade do Porto de Leixões, da cidade de Matosinhos e do património industrial de Portugal», ressalvou a administração portuária.

Os titans foram cruciais para a edificação do porto de Leixões

A partir de 1884 o Monte de S. Gens, localizado em Custóias, começou a ser intensamente explorado como pedreira, visando a edificação do porto de Leixões. Aquele que era um dos pontos mais altos de toda a região iria desaparecer num curto espaço de anos. Hoje vemos o monte de S. Gens ou, pelo menos, evocamo-lo, sempre que contemplamos os molhes do porto: ao longo desses quilómetros rochosos, mar-adentro, está o granito que até ao final do século XIX constituía aquela elevação. Mas, como é que aquelas pedras foram ali depositadas? Esse foi o papel crucial de dois gigantescos guindastes movidos a vapor – os titans!

Titã - Guindaste Porto de Leixões

Montados em Leixões a partir de 1885, os titans – gigantescos guindastes movidos a vapor – foram cruciais para a edificação do porto. Foi graças à sua força, de ferro e vapor, que os blocos graníticos que constituíram os molhes, e que chegavam a pesar 50 toneladas, foram sendo depositados nos lugares desejados.

Titãs de Leixões
caranguejeira
A “caranguejeira”

Este curioso mecanismo a vapor – a “caranguejeira” – foi um precioso auxiliar dos titans durante a edificação dos molhes do porto de Leixões, a partir de 1885.

Fotos: APDL


Partilhe:
  • 132
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    132
    Shares
  • 132
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
sendinblue