Nacional

Movimento reconhece Autarquias que Cuidam dos Cuidadores Informais

Autarquias que Cuidam dos Cuidadores Informais

O projeto visa reconhecer os municípios e freguesias que contribuem para melhorar a vida de quem cuida


Ajudar os cuidadores informais é a primeira e principal missão do Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais, uma iniciativa que conta com o apoio institucional da Merck e que acaba de lançar, no âmbito deste objetivo, a 1ª edição da Rede de Autarquias que Cuidam dos Cuidadores Informais (RACCI). Trata-se de um projeto que irá reconhecer os municípios e as freguesias do território nacional português que adotem as melhores práticas e as medidas de apoio em benefício dos cuidadores informais, cuja distinção se materializa na atribuição de selos de mérito.

As medidas podem ser diferentes na sua forma ou aplicação, tendo o mesmo fio condutor: facilitar a vida aos milhares de cuidadores informais que, em Portugal, desempenham uma tarefa nem sempre reconhecida e cujos apoios para tal, de acordo com o mais recente inquérito nacional, não são suficientes. Ao todo, 81,3% dos mais de mil inquiridos no estudo divulgado pelo Movimento confirmam isso mesmo, reforçando a necessidade de auxílio na prestação de cuidados (46,9%), apoio financeiro (39,6%) e apoio psicológico (13,5%).

Todos os municípios e freguesias estão, por isso, convidados a participar, sendo atribuído o selo de mérito aos que obtiverem as melhores avaliações globais, numa escala de 1 a 5, por aplicação de critérios como: práticas inclusivas, medidas de apoio, respostas sociais, dinamização ou financiamento de projetos, existência de recursos humanos dedicados aos cuidadores informais ou inovação/importância estratégica para estes cuidadores.

Nesta 1ª edição da RACCI, as inscrições decorrem até 31 de julho próximo, devendo os candidatos submeter a sua candidatura através do formulário criado para o efeito no website www.movimentocuidadoresinformais.pt.

A iniciativa foi apresentada à Associação Nacional dos Municípios Portugueses, que se disponibilizou para partilhar a informação com todas as autarquias do País, e conta já com o apoio da Associação Nacional de Freguesias.

No âmbito desta iniciativa, os representantes do Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais estiveram reunidos com o Presidente da República, com quem tiveram oportunidade de partilhar algumas das preocupações e desafios que enfrentam atualmente os cuidadores informais em Portugal. Um encontro em que esteve também presente a Secretária de Estado da Ação Social e que serviu para abordar as questões associadas à implementação do estatuto do cuidador informal.


Sobre o Movimento Cuidar dos Cuidadores Informais

Reconhecidos recentemente por um Estatuto que, apesar de um importante avanço social, continua incapaz de travar por completo o perpetuar de algumas injustiças, os cuidadores têm estado em destaque nos últimos tempos. E é porque, apesar de insubstituíveis, muitos continuam ainda invisíveis, que a Merck Portugal decidiu, no seguimento de um projeto corporativo global, o ‘Embracing Carers’, lançar, em 2020, no País um Movimento que tem como missão ‘Cuidar dos Cuidadores Informais’. Este movimento, apoiado pela Merck, conta com dezenas de associações portuguesas que têm como objetivo concretizar projetos capazes de ajudar, na prática, quem cuida, seja do marido, da mulher, de um filho, do pai, da mãe.


Partilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
sendinblue