A Padaria Portuguesa já chegou a Matosinhos

Padaria Portuguesa

Partilhe:

Translate

A empresa portuguesa expandiu-se para Matosinhos após ter aberto três lojas no Porto


A Padaria Portuguesa atendeu os pedidos dos clientes portuenses em janeiro, abrindo a sua primeira loja na cidade do Porto, na Avenida do Brasil, na Foz do Douro. Poucos dias depois, inaugurou a sua segunda loja na cidade, na Rua Professor Bento de Jesus Caraça, nas Antas. Em fevereiro, um terceiro espaço foi aberto no Bom Sucesso, na Rua Gonçalo Sampaio. E agora, em março, dia 15, a Padaria Portuguesa inaugurou a sua primeira loja em Matosinhos, localizada na Avenida da República, nº44, com um interior espaçoso e uma bela esplanada com vista para a praia.

Além dos produtos habituais, como croissants, brownies, bolos e vários tipos de pão, incluindo o novo pão sem glúten feito com batata doce da Lourinhã, a loja também oferece produtos exclusivos para os clientes do Porto, como Regueifa, Jesuíta, lanche misto e lanche de cogumelos ostra, pão bijou e deliciosas miniaturas de Bola de Berlim, Pastel de Natal, Pão de Deus (que deu fama à casa) e o clássico Napoleão. Os clientes podem almoçar no espaço, desfrutar de alguns menus disponíveis e tomar o pequeno-almoço (3,95€), que inclui uma sandes, bebida e café orgânico. A loja está aberta todos os dias, das 7h às 20h.

Padaria Portuguesa Matosinhos

A Padaria Portuguesa também inaugurou recentemente uma nova fábrica local para garantir a máxima qualidade e frescura diárias em todos os produtos. É lá que os padeiros e pasteleiros d’A Padaria Portuguesa preparam diariamente produtos especialmente desenvolvidos para os clientes da região norte.

Padaria Portuguesa

Para quem não conhece, o conceito da marca foi inspirado nas padarias de Paris, Londres e Berlim e foi ganhando fama pelos seus pequenos-almoços onde não faltam o pão de Deus, o sumo de laranja ou o croissant. No início, foram impulsionados pelas mudanças de hábitos dos consumidores, que quiseram remeter novamente para as origens.

Ao longo dos anos, foram ainda ganhando destaque alguns detalhes como o facto de fazerem pão artesanal, usarem farinhas de moleiro e massa mãe ou até cortarem no sal, que é substituído por salicórnia.



Partilhe: