Paróquia

Liturgia Familiar: 5.º Domingo da Quaresma – B

Grão de Trigo

“Queríamos ver Jesus…”

“Queríamos ver Jesus”. Foi, certamente, este o sentimento que norteou o coração de muitos crentes ao longo do tempo de confinamento. É verdade que há muitas formas de ver, e até o livro “o Princepezinho” diz – “Vê-se melhor com o coração” -; mas, para nós cristãos, ainda que O tenhamos visto presente na Palavra, faltava-nos algo bem melhor, diríamos, bem mais “substancial”, o Seu Corpo dado, a Santíssima Eucaristia. Felizmente deste maravilhoso alimento já nos podemos saciar. Já d’Ele, de Jesus Eucarístico, sentíamos falta.

Quem puder, não pode nem deve deixar de celebrar presencialmente a Eucaristia. É desejável que os nossos cristãos não se acomodem. Alguns não poderão participar, por questões de saúde ou idade; basta-lhes a pena. Quem dera não tenhamos um dia de dizer como Santo Agostinho: “Tarde Te amei, Senhor, tarde Te amei”.

Atividade

  1. Retirar da arca o papiro que revela o tesouro que vamos valorizar ao longo da semana: o Matrimónio.
  2. Escolher um objeto que simbolize o tesouro da semana e colocá-lo junto da arca, no cantinho da oração (propõe-se colocar as alianças do casamento ou um coração).
  3. Semear sementes de trigo num vaso, a colocar junto da cruz.

LITURGIA FAMILIAR

A família pode reunir-se à volta da mesa, antes da refeição, ou junto do cantinho da oração.

Abertura

Cântico – “Se o grão de trigo não morrer na terra…”

Pode cantar-se outro cântico conhecido pela família, próprio desta quadra (ou que tenha por tema a família e a sua unidade).

Durante o canto ou o hino, o elemento mais novo da família, se já for capaz, acende uma vela.

Introdução

G. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
R. Ámen.
G. Celebrastes connosco, Senhor, uma aliança eterna.
R. Renovamos, hoje, o nosso sim!

Invocação (recitada alternadamente pela família, dividida em 2 grupos)

A. Se Deus está por nós, quem estará contra nós?
B. Como não havia Deus de nos dar, com Jesus, todas as coisas?

A. Grandes e admiráveis são as vossas obras, Senhor.
B. Bendito sejais para sempre.

Leitura

G. Escutemos Deus que nos fala através do profeta Jeremias – Jer 31, 31-33

Dias virão, diz o Senhor,
em que estabelecerei com a casa de Israel
e com a casa de Judá uma aliança nova.
Não será como a aliança que firmei com os seus pais,
no dia em que os tomei pela mão para os tirar da terra do Egipto,
aliança que eles violaram,
embora Eu tivesse domínio sobre eles, diz o Senhor.
Esta é a aliança que estabelecerei com a casa de Israel,
naqueles dias, diz o Senhor:
Hei de imprimir a minha lei no íntimo da sua alma
e gravá-la-ei no seu coração.
Eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo.

Palavra do Senhor.

R. Graças a Deus!

Reflexão (facultativa)

Os filhos perguntam e os pais respondem.

  • Qual foi a primeira aliança de Deus com o Seu povo?
    Foi a aliança do Sinai em que Deus entregou a Moisés as tábuas da Lei, com os dez Mandamentos, que são o roteiro que o povo devia seguir para ser fiel a Deus e viver na liberdade.
  • Qual é a novidade da nova aliança que o profeta anuncia?
    A lei da nova aliança será gravada no coração. Já não se trata de uma mera obediência exterior a um conjunto de leis; o nosso próprio coração será cativado pela Lei do Amor e ser-nos-á espontâneo aderir com todo o nosso ser à vontade de Deus manifestada em Jesus.
  • Que significa uma aliança gravada no coração?
    O coração é a sede dos sentimentos, dos pensamentos, dos projetos, das decisões e das ações do homem; é o centro do ser, onde cada pessoa dialoga consiga mesmo, toma decisões e assume responsabilidades.

Oração

G. Rezemos ao Senhor através dos Salmos (cf. Salmo 50/51), dizendo:

O seguinte Salmo pode recitar-se alternadamente entre os membros da família (por ex., de cada lado da mesa; pais e filhos, etc.); pode também ser lido por um dos presentes, participando todos com o refrão.

Refrão: Dá-me, Senhor, um coração puro.

Compadece-Te de mim, ó Deus, pela Tua bondade,
pela Tua grande misericórdia, apaga os meus pecados.
Lava-me de toda a iniquidade
e purifica-me de todas as faltas.

Cria em mim, ó Deus, um coração puro
e faz nascer dentro de mim um espírito firme.
Não queiras repelir-me da Tua presença
e não retires de mim o Teu espírito de santidade.

Dá-me de novo a alegria da Tua salvação
e sustenta-me com espírito generoso.
Abre, Senhor, os meus lábios,
e a minha boca anunciará o Teu louvor.

G. Transformados pelo Espírito e com o coração de filhos, rezemos a Deus, nosso Pai:

Pai Nosso…

Bênção

Se a oração se faz antes da refeição, pode terminar com esta Bênção.

G. Bendito sejas, ó Pai que nos dás um sinal da Tua aliança no amor abençoado que fez nascer e alimenta esta família. Que a refeição que vamos partilhar reforce os laços da nossa unidade e nos ajude a trabalhar por um mundo mais fraterno. Por Cristo, nosso Senhor.

R. Ámen.

Todos fazem o sinal da cruz, enquanto o/a Guia conclui:

G. Em nome do Pai…

Louvavelmente, os pais abençoarão os filhos impondo a mão direita sobre as suas cabeças ou com outro gesto, segundo o costume. Os filhos, agradecidos, poderão beijar a mão de quem os abençoa.

Por: Padre Francisco Andrade
Pároco de Leça da Palmeira


RELACIONADOS:

Partilhe:
  • 6
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    7
    Shares
  • 6
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •