Paróquia

Liturgia Familiar: Proposta para o 3.º Domingo do Advento – Ano B

“Endireitai o caminho do Senhor”

“Endireitai o caminho do Senhor”

Oração Familiar

Este terceiro Domingo do Advento é, na liturgia chamado: Domingo da Alegria.
No contexto que estamos a viver, haverá lugar para a alegria? Sim. Há lugar para a alegria porque o Senhor está a chegar. O Natal está próximo. Mesmo a braços com esta Pandemia, não podemos, nem devemos desanimar, porque o Senhor vem para nos salvar.
Talvez ainda não tenhamos fé suficiente, daí as nossas dúvidas, desânimos e desencantos. Mas, Ele, Jesus, vem, vem para nos salvar. Por isso, hoje e sempre, não deixemos de pedir: Vem, Senhor Jesus, brilhe a Vossa Luz. Vem, Senhor Jesus, reine o Vosso amor.

Pode cantar-se um cântico próprio desta quadra (ou que tenha por tema a família e a sua unidade), à escolha de cada família. O elemento mais novo da família, se já for capaz, acende uma vela: pode ser a terceira da coroa de advento, estando já acesas as duas das semanas precedentes. Em seguida, todos fazem o sinal da cruz enquanto o/a Guia diz:
 

Introdução

G. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

R. Ámen.

G. Vem, Senhor, ao nosso encontro

R. Caminhamos para Ti.

Invocação

Sugerimos a recitação alternada, verso a verso, entre os membros da família (por ex., de cada lado da mesa; pais e filhos, etc.)

Exulto de alegria no Senhor,
porque a boa nova é anunciada aos pobres.

A minha alma glorifica o Senhor,
porque vem curar os corações atribulados

O Ungido do Senhor vem até nós,
exultemos de alegria porque vem salvar-nos

G. Escutemos agora o Santo Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
(Jo 1, 6-8.19-28).

O Evangelho pode ser lido por quem guia a oração ou por outro familiar.

Apareceu um homem enviado por Deus, chamado João.
Veio como testemunha, para dar testemunho da luz,
a fim de que todos acreditassem por meio dele.
Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz.
Foi este o testemunho de João,
quando os judeus lhe enviaram, de Jerusalém,
sacerdotes e levitas, para lhe perguntarem: “Quem és tu?”. […]
Ele declarou: “Eu sou a voz do que clama no deserto:
‘Endireitai o caminho do Senhor’,
como disse o profeta Isaías”.
Entre os enviados havia fariseus que lhe perguntaram:
“Então, porque batizas… ?”.
João respondeu-lhes: “Eu batizo na água,
mas no meio de vós está Alguém que não conheceis:
Aquele que vem depois de mim,
a quem eu não sou digno de desatar a correia das sandálias”.
Tudo isto se passou em Betânia, além do Jordão,
onde João estava a batizar.

Palavra da salvação.

Compreender, acolher, saborear e viver o Evangelho
 

Onde for possível, os filhos perguntam e os pais respondem.

Quem é João?
João é aquele que Deus escolheu para dar testemunho da luz. Jesus é a luz; João é apenas “a testemunha” que vem preparar os homens para acolher esse que vai chegar e que será “a luz” e “a vida”.

Podemos dizer que João é o protagonista deste texto do Evangelho?
Não! Ele tem o cuidado de não querer o foco sobre si mesmo, por isso se declara apenas uma “voz” através da qual Deus passa aos homens uma mensagem. É à mensagem e não à “voz” que devemos dar atenção.

Que significa o batismo de João?
É um símbolo de transformação e de adesão a uma nova realidade, que Jesus virá apresentar. Por isso João convida a olhar para a nova realidade que já está no nosso meio: o batismo no Espírito, dado por Jesus, que transformará totalmente os corações dos homens, os fará livres e lhes dará a vida definitiva.

Preces

Um membro da família lê a primeira parte e todos respondem.
 
Jesus, lava-nos das nossas faltas
para Te recebermos no meio de nós

Endireita os nossos caminhos
para Te recebermos no meio de nós

Concede-nos o dom da fé
para Te recebermos no meio de nós.

Durante uns segundos, em silêncio e/ou partilhando, cada um faz a sua oração de louvor/suplica.

G. Na alegria de sermos família de Deus, rezemos com alegria:

R. Pai nosso…

Compromisso

A partir da Palavra, somos convidados a preparar a vinda de Jesus, em Família, exercitando a PROXIMIDADE. Aproximemo-nos de quem precisa: em casa, no trabalho, na escola, nos transportes, conhecidos e desconhecidos. Neste domingo da alegria aproximar-nos dos outros com um sorriso; e vamos estar mais atentos a quem vive aflito e com poucos motivos para se alegrar. Porque nós temos um motivo muito forte para sorrir: Jesus, o Libertador, que se aproxima de nós ungido pelo Espírito e não nos abandona na pobreza, na aflição.
 

Atividade
 
Neste momento (ou durante a semana), compor a ESTRELA escrevendo a palavra que nos guia: PROXIMIDADE.
 

Bênção

Se a oração se faz antes da refeição, pode terminar com esta Bênção

G. Bendito sejas ó Pai, pela alegria desta refeição que vamos partilhar. Sacianos também com a tua Palavra de Vida, por Cristo, nosso Senhor.

R. Ámen.

Todos fazem o sinal da cruz, enquanto o/a Guia diz:

G. Em nome do Pai…

Se a oração se faz noutros momentos, pode terminar com esta Bênção, dita pelo(a) Guia, enquanto todos se benzem fazendo o sinal da cruz:

G. O Senhor Jesus, Redentor de toda a humanidade, nos livre de todo o mal e nos faça testemunhas felizes da Sua proximidade.

R. Ámen.
 
Louvavelmente, os pais abençoarão os filhos impondo a mão direita sobre as suas cabeças ou com outro gesto, segundo o costume. Os filhos, agradecidos, poderão beijar a mão do progenitor que os abençoa.

Por: Padre Francisco Andrade
Pároco de Leça da Palmeira


RELACIONADOS:

Partilhe:
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
sendinblue