Paróquia

Oração familiar: Festa do Batismo do Senhor

Batismo do Senhor

Batizados em Cristo, formamos o Povo de Deus


Oração familiar

A Festa do Batismo do Senhor dá-nos, cada ano, a grande oportunidade de tomarmos verdadeiramente consciência da nossa condição – Batizados – verdadeiramente filhos de Deus, filhos no Filho, que mesmo sendo Deus quis ser batizado para ser o primeiro de muitos, entre os quais estamos também nós, já que Ele, Deus Pai, pelo Batismo, nos adotou como filhos muitos amados.
Pena é que, também muitos, ainda não tenham tomado verdadeiramente consciência desta maravilhosa condição. E, infelizmente, esta fraca tomada de consciência, em vez de sair reforçada nestes tempos conturbados da Pandemia, talvez tenha “enfraquecido”.
Como dizia na homilia da Missa da Aurora do Dia de Natal: Não se vê muito mais amor entre as pessoas; não se vê muito mais temor de Deus – respeito por Deus, pelo dom da vida, da criação… Não se vê muito mais fé e vida de oração. Vê-se sim, muita leviandade e alienação.
A nossa condição de batizados deve ajudar-nos a contrariar esta tendência, como também, ajudar, com o nosso testemunho, quantos e quantas nos rodeiam a ser melhores cristãos.

Sugerimos que esta oração se faça à mesa da principal refeição familiar. Pode também fazer-se junto do presépio. Se possível, começar com um cântico natalício (ou um cântico batismal), à escolha. O elemento mais novo da família, se já for capaz, acende uma vela: pode ser da coroa de advento, estando já acesas as demais. Em seguida, todos fazem o sinal da cruz enquanto o/a Guia diz:

INTRODUÇÃO
 

G. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

R. Ámen.

G. Nós que fomos batizados em Cristo!

R. Estamos revestidos de Cristo!

SALMO

Sugerimos a recitação alternada destas estrofes retiradas do Salmo 28/29 (por ex., de cada lado da mesa; pais e filhos, etc.).
 
Tributai ao Senhor, filhos de Deus,
tributai ao Senhor glória e poder.
Tributai ao Senhor a glória do Seu nome.

A voz do Senhor ressoa sobre as nuvens,
o Senhor está sobre a vastidão das águas.
A voz do Senhor é majestosa.

A majestade de Deus faz ecoar o Seu trovão,
Sobre as águas do dilúvio senta-Se o Senhor,
o Senhor senta-Se como Rei eterno.

G. Escutemos agora o Santo Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Mc 1, 7-11

O Evangelho pode ser lido por quem guia a oração ou por outro familiar.

Naquele tempo, João começou a pregar, dizendo:
“Vai chegar depois de mim quem é mais forte do que eu,
diante do qual eu não sou digno de me inclinar
para desatar as correias das suas sandálias.
Eu batizo na água, mas Ele batizar-vos-á no Espírito Santo”.
Sucedeu que, naqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galileia
e foi batizado por João no rio Jordão.
Ao subir da água, viu os céus rasgarem-se e o Espírito,
como uma pomba, descer sobre Ele.
E dos céus ouviu-se uma voz:
“Tu és o meu Filho muito amado, em Ti pus toda a minha complacência”.

Palavra da salvação.

COMPREENDER, ACOLLHER, SABOREAR E VIVER O EVANGELHO

Onde for possível, os filhos perguntam e os pais respondem.

  • Esta leitura lê-se logo no início do Evangelho de São Marcos. Porquê?

Porque foi aquando do Seu Batismo por João Batista, no Rio Jordão, que Jesus Se manifestou como o Filho muito amado do Pai. A partir de então começou a Sua vida pública, chamando discípulos, anunciando e inaugurando o Reino de Deus na terra com a força do Espírito Santo, como o Messias e Servo de Deus anunciado.

  • Qual a importância e o significado do Batismo de Jesus, para nós?

Ao ser batizado, o nosso Salvador santificou as águas do Batismo as quais, pela virtude do Espírito Santo, santificam os que agora são batizados para se revestirem da novidade de Cristo, participando na Sua Páscoa redentora.

 – Então o Batismo que recebemos não é só para nos lavar do pecado?

O Batismo lava-nos do pecado e de toda a negatividade que é herança da condição humana pecadora. Mas faz muito mais do que isso: santificanos e dá-nos a vida nova de Jesus ressuscitado. Ao olhar para cada pessoa acabada de batizar, Deus Pai vê nela o Seu próprio Filho Unigénito e diz-lhe, bem em segredo: “Tu és o Meu filho muito querido, tu és a Minha filha muito querida, tu és todo o Meu enlevo”.

PRECES

Um membro da família lê a primeira parte (V.) e todos respondem (R.).

V. Senhor Deus, escuta a voz do Teu povo.
R. Senhor Deus, escuta a voz do teu povo.

V. Abre-nos a fonte das águas vivas.
R. Escuta a voz do Teu povo.

V. Envia sobre nós o Teu Espírito.
R. Escuta a voz do Teu povo.

V. Tem compaixão de quem Te procura de coração sincero.
R. Escuta a voz do Teu povo.
 
Durante uns segundos, em silêncio e/ou partilhando, cada um faz a sua oração de louvor/suplica.

G. Deus Pai ama-nos como filhos muito amados. Olhemos para Ele como filhos e invoquemo-lo com confiança:

R. Pai nosso…

COMPROMISSO

O Batismo fundamenta a IGUALDADE radical de todos os cristãos. Começando em casa, esforcemo-nos por eliminar todas as desigualdades injustas e tudo o que diminui as pessoas na sua dignidade. Pensar em alguma forma de partilha para além das iniciativas típicas do Natal…

ATIVIDADE

Se tal for compatível com as restrições em vigor, convidam-se os membros da família a continuar os seus ensaios de «cânticos de reis» ou de «janeiras» (aproveitando ou acrescentando a riqueza do nosso património cultural) para, em tempo oportuno (até ao final do mês de janeiro, aproximadamente), irem cantar e confraternizar com algum vizinho ou familiar.

Neste momento (ou durante a semana), compor a ESTRELA escrevendo a palavra que nos guia: IGUALDADE.

BÊNÇÃO

Se a oração se faz antes da refeição, pode terminar com esta Bênção

Bendito sejas, ó Pai, pelo teu Filho Jesus que hoje quis ser batizado para nos iluminar. Tu, que nos dás a vida e o alimento, dá-nos também um coração puro para que hoje e sempre Te demos graças, por Cristo, nosso Senhor.

R. Ámen.

Todos fazem o sinal da cruz, enquanto o/a Guia diz:

G. Em nome do Pai…

Se a oração se faz noutros momentos, pode terminar com esta Bênção, dita pelo(a) Guia:

G. Abençoe-nos Deus Pai todo-poderoso, que nos fez renascer da água e do Espírito Santo como seus filhos adotivos, e nos torne dignos do seu amor paterno.

R. Ámen.

No final, todos fazem o sinal da cruz, enquanto o/a Guia diz:

G. Em nome do Pai…

R. Ámen.

Louvavelmente, os pais abençoarão os filhos impondo a mão direita sobre as suas cabeças ou com outro gesto, segundo o costume. Os filhos, agradecidos, poderão beijar a mão do progenitor que os abençoa.

Por: Padre Francisco Andrade
Pároco de Leça da Palmeira


RELACIONADOS:


 

Partilhe:
  • 57
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
    58
    Shares
  • 57
  • 1
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •